quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Tabuleiro

"O jogo virou e não faz sentido, não faz sentido! Guarde o que foi bom... O jogo virou e não faz sentido! Se eu disser que gosto da contradição, vão queimar meus ossos na inquisição."
(O Jogo Virou - Banda Vista)



"A vida não consiste em ter boas cartas na mão e sim em jogar bem as que se tem."  (Josh Billings)


"As peças já estão no tabuleiro, nesse jogo ao sol da vida. Os fortes nem sempre sobrevivem e os fracos geralmente são os piores... O mais fascinante do jogo da vida é certeza que tudo muda, tudo vira e quando isso vai acontencer... Não podemos prever!"

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Meu álbum de manias

E essa mania de querer eternizar os sentimentos, de sonhar que as pessoas são perfeitas e que esse perfume com cheiro de paz durará para sempre. E essa mania de colocar sempre o "talvez" nos sentimentos pois só gera dúvida e esta dá espaço para uma possibilidade que ainda nem existe de certeza. E essa mania de deixar passar, esse risco que se paga por deixar as coisas irem embora e não aproveitá-las ao máximo. E essa mania de perder o chão, de sonhar mais que a cabeça, de ter beijos que não cabem na garganta. E essa mania de ser gente, de ter problema, de fazer errado às vezes, de ser falível. E essa mania de mostrar pros outros que ser legal não dói, que sorrir não machuca, que cantar não é feio, que dançar é massa! ...mesmo dançando feio. E essa minha mania de ser aquilo que sou, de me inspirar em livros, pessoas e músicas. E essa minha mania de ser FELIZ!

"..Vem pra se arrumar, na minha confusão. Vem querendo ser FELIZ!" (Maria Rita - Feliz)

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Lado que pesa. Lado que flutua!

Sabe aquelas poucas músicas que estão tatuadas em sua vida pra sempre, pois bem, "Crua - Otto", para mim é uma delas. Que nunca me falte muita loucura para que possa questionar SEMPRE minha lucidez!




Há sempre um lado que pesa e um outro lado que flutua. Tua pele é crua. Dificilmente se arranca lembrança, lembrança, lembrança, lembrança... Por isso da primeira vez dói, por isso não se esqueça: dói. E ter que acreditar num caso sério e na melancolia que dizia. Mas naquela noite que eu chamei você fodia, fodia.
Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

I. Detalhes e Ideologias



‎"Feliz do mundo que tem mulheres nuas e não mulheres com burca!" ..Fernanda Youg

--
Detalhes e Ideologias, serão postagens basicamente compostas de frases e fotografias, que de uma forma simples demonstram uma visão e/ou ideologia na qual  acredito e me influencio. E pra começar, não poderia ser outra pessoa a não ser Fernanda Young. 

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Catástrofe, amor.

O tempo passou, as coisas de dentro e fora de mim passaram (mudaram) também. E você? O que posso dizer de você? Negar sua existência, impossível! Procurar em outras pessoas o que encontrei em você, no mínimo frustrante! Então, passeando por nosso passado que se permeia até hoje em minha memória, eu só posso dizer que valeu, valeu mesmo, foi verdade e foi muito! Amei como um bobo e um leão, fui bandido, possível, apaixonado... Fui seu! E também posso dizer que esse sentimento teve um fim, mas não um fim-total, posso até dizer num fim-parcial, quero dizer que... que tenho medo de... de... ENFIM, tudo isso é pra dizer que ainda amo, com aquela força e aquela aura, que os sentimentos ainda estão nus, gêmeos e vivos. Dizer também que por amar tanto e depois ter de encarar a nossa realidade, não esqueci seus erros, não deixei perder suas culpas da memória, nem se quer passei a achar correto os seus antigos vícios, mas quero dizer que agora... Entendo! Seus erros, vícios, mentiras, abusos e culpas. E por entender, te quero de volta... Novamente, debaixo de mim, do meu domínio... No nosso mundo! 

"Por te amar, entendo!"
Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

02 de Novembro

"..A vida se repete na estação, tem gente que chega pra ficar...
Tem gente que vai pra nunca mais!"
(Encontros e Despedidas - Maria Rita)
A vida se renova e o tempo não pára.
As lembranças de vocês ainda estão aqui... Vivas.
As fotos, características e sorrisos continuam conosco.
E a saudade também!
Hoje não é dia de sofrer, nem reclamar. 
Mas de lembrar... Relembrar!
Tivemos o prazer de tê-los conosco, mas também tivemos que nos despedir.
E como é cruel o momento da partida.
Ainda nos veremos, sim... Eu sei!




Vamos Viver!

--
Voinho Zé Gomes, Tio Múrcio e João Paulo.
Vocês seguem sempre comigo! ...Luz!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Amores (Im) Possíveis

"Não tenho nada com isso, nem vem falar. Eu não consigo entender sua lógica.
Minha palavra cantada pode espantar. E a seus ouvidos parece ser exótica..."
(Muito Romântico, Caetano Veloso. Adriana C.)

Que a vida seja feita de mais amores. Não esses amores milimetricamente corretos, socialmente aceitos, o futuro da dona de casa e pai de família perfeitos sem um mero fio de cabelo penteado do lado errado. Sinceramente, espero esses amores bandidos, que nós fazem morrer e ressurgir em segundos ou no tempo de uma simples ligação. Quero esse amor que permeia, que transcende, que energiza! A vida é tão curta e nada melhor do que viver algo que nos presentei com outras vidas.
Que venham as loucuras, as unhas roídas de ansiedade, aquela liberdade que só quem amou e ama nos limites, sabe o tamanho do seu poder! Quero facilitar os dias, dificultar as palavras... Eu quero é viver, sem ter o medo de estar nas linhas ténues do tudo ou nada.

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.

"E gosto mais do mundo quando posso olhar pra ele com você!"
(Seu Olhar, Paulinho Moska)


domingo, 23 de outubro de 2011

O que vem de dentro!

Simples Desejo
--

É sonhando e sonhando que agente descobre que pode ser verdade e quando menos espera, se torna real! (: ..Vamos esperar! ..esperar!

..tem um lado de mim que é maior que mundo, mas que ama de verdade e é vagabundo!


Vamos Viver!



Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

(Pré) Conceito

Não venho aqui levantar bandeiras, me opor a opiniões rijas, nem muito menos criar confusões baratas. Venho só expor o que considero como ABSURDO, todo tipo de preconceito. Sinto realmente vergonha, quando vejo que alguém não é se quer capaz de entender que existem diferenças entre as pessoas e essas "diferenças" nada mais são do que normais. Normais? É claro que sim!. Seja entre sexo, cor, tamanho, gordura ou magreza. Possuímos pontos que DIVERGEM um do outro, mas acima disso possuímos uma razão que pode CONVERSAR livremente entre as diferenças. Por que eu tenho que julgar errado ou coisa do inferno ou coisa feia, quando uma pessoa diz que sente prazer com o mesmo sexo ou com dois, três.. com mil?. O prazer é dela, o tesão é dela, a felicidade e direito a escolha também!. Por que eu tenho sempre que ter uma piadinha pronta quando passa aquela menina de 20 quilos acima do peso? Será que ela tem uma plaquinha, assinada e autenticada dizendo: Olhem sou gorda! Riam de mim!. Será?. Será que terei sempre que achar, que o neguinho de cabelo sarará que entra no ônibus vai puxar um projeto de faca e pedir o meu celular em assalto?. Será que eu esqueço que minha sociedade arrancou milhares de seus antepassados negros de suas nacionalidades e os jogou num navio para serem vendidos e tratados como coisas aqui no nosso país?. Será que eu terei sempre que achar tudo correto, magro, bonito, conveniente e reluzente em nossa sociedade para ser bem aceito entre as tribos e panacas? Sinceramente, repondo bem tranquilo: NÃO! Não preciso e nem tenho a menor vontade em ser mais um alienado que vai balançando a cabeça pra tudo e deixando de se impor e verdadeiramente ser um cidadão afim de mudar essa sociedade (bagaça) atual. Rebele-se! Faça a diferença! Humanize-se!

Vamos Viver!

"E o povo negro entendeu que o grande vencedor.
Se ergue além da dor."
(Milagre do Povo - Caetano)
"Qual é a cor do amor?"
(Só se for a dois - Cazuza)
"Preciosa - Uma história de esperança"

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Lançar-se

O que alguns chamam de loucura,
eu chamo de felicidade!
O certo é encher-se da paz.
Do momento, da certeza e do sonho!
Muito mais que concretismo, precisamos de leveza.
De estarmos completos de aura,
Respirar a energia que transcende... Que perambula pelo vento.
Desamarrar os cadarços, abrir as asas, soltar os cabelos... Voar!
Descubra outros mundos, perca os velhos medos, se encontre e mais uma vez... Perca-se!



Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

-

Camaleão
No inverno posso ser verão,
Ser um só e ser camaleão.
Posso estar por um segundo.
Posso dominar o mundo, eu não!
Eu só quero ir fundo nesse mar,
Me lançar no espaço sei voar.
Eu só quero estar no meu lugar... Aqui!


--
Conheci Rodrigo Maranhão pela obra da amada Maria Rita, visto que no DVD "Segundo" ela cantava algumas de suas composições e depois disso passei a curtir muito o trabalho do Rodrigo, mas esse semana  vi o filme "Os doze trabalhos" e entre as mudanças de cena ouvindo trechos ao fundo, me encantei com o ritmo, com a paz, enfim mesmo sem entender bem, anotei pequenas estrofes que depois pesquisei e cheguei em "Camaleão" que é uma delícia de canção. Deixo aqui também minha recomendação para o novo álbum do Rodrigo, Passageiro. Viva R. Maranhão!!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Móbile

Human Evolution

Desde os menores átomos até o nosso infinito e desconhecido universo, vemos que tudo se movimenta nada se mantém intacto ao tempo e as mudanças. Por isso, também acredito que as pessoas mudam, e essa capacidade de mudança oscila entre o positivo e o negativo. Sorte daqueles que se reconsideram um produto inacabado, que tem certeza que vieram ao mundo para crescer e evoluir sempre! Afinal essa característica está em nossa natureza evolutiva e em nossa ciência. Juro, que muito me cansa ver pessoas e pessoas que ainda insistem em manter aquele velho e recalcado sentimento das “Verdades Absolutas” de achar que são e estarão para sempre corretos, que não se abrem ao novo, que não percebem que a vida é muito além de acertos e conquistas, mas sim, de erros e novas descobertas nesse jogo delirante e incrível que é... Viver!

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.
É claro que somos as mesmas pessoas, mas pare e perceba como o seu dia-a-dia mudou. Mudaram os horários, hábitos, lugares inclusive as pessoas ao redor, são outros rostos, outras vozes. Interagindo e modificando você e aí surgem novos valores, vindos de outras vontades. Alguns caindo por terra, pra outros poderem crescer. Caem 1, 2, 3, caem 4, a terra girando não se pode parar.
(Anacrônico - Pitty)

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Vamos Viver

"Não ligue pra essas caras tristes, fingindo que agente não existe.
Sentadas, são tão engraçadas, donas das suas salas."
(Cazuza - Bete Balanço)


Não quero escrever mais um texto triste. Muito menos melódico, bêbado, escuro ou insólito. Prefiro hoje lembrar, que a felicidade é uma questão de escolha. Uma questão de opinião. Já passei por ápices e vales de emoção, sonhei e sonho. Ás vezes me pego com raiva de algumas atitudes minhas, mas me controlo e me permito. Afinal a juventude também é uma questão muito mais de bem estar do que uma somatória hipócrita de anos. Minha felicidade está condicionada no pequeno e também no delirante tamanho do infinito. Só quero reforçar o que sempre falo aqui: Vamos Viver! É muito triste ver pessoas em filas de radioterapia, mutiladas, lutando como leões por fios de vida. Sinto-me na obrigação de espalhar que devermos ser mais felizes, completos, transbordantes. Sei que isso não nos torna isentos de dor e problemas, mas mesmo assim sofrer é algo extremamente opcional.

VAMOS VIVER!   

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão.

"..O som das crianças brincando nas ruas, como se fosse um quintal. A cerveja gelada na esquina, como se espantasse o mal. O chá pra curar esta azia um bom chá pra curar esta azia. Todas as ciências de baixa tecnologia, todas as cores escondidas nas nuvens da rotina."
(O que sobrou do céu - O Rappa)

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Aqueles Girassóis

---

Como eles, somos nós.
Em dias grandes... solares!
Em dias dependentes... mutáveis!
Aqueles girassóis que também somos.
Naquele amarelo... naquela vida, viva.
Naquele sentimento, exagero, sem companhia.
Na fonte, na ponte, no laço e no aço.
Que esqueçamos o medo, o triste, o bucólico.
Que nos abramos em graça, sorridentes, amarelos.
Graça!




"O girassol é o grande filho do sol. Tanto que sabe virar sua enorme corola para o lado de quem o criou. Não importa se é pai ou mãe. Não sei. Será o girassol flor feminina ou masculina? Acho que masculina."
(Clarice Lispector - Água Viva)


---

"Um girassol sem sol, um navio sem direção. Apenas a lembrança do seu sermão, você é meu sol! Um metro e sessenta e cinco de sol e quase o ano inteiro os dias foram noites, noites para mim. Meu sorriso se foi, minha canção também. Eu jurei por Deus, não morrer por amor e continuar a viver. Como eu sou um girassol, você é meu sol!" 
(Ira - O Girasso, Composição: Eduardo Scandurra)



---

A lembrança da letra da música, “O Girassol” da Banda de Rock Ira, com um trechinho do livro, “Água Viva” escrito por Clarice Lispector sempre tão inspiradora, provocaram uma fusão de sentimentos e idéias, comecei a refletir sobre os sentimentos e relacioná-los como a figura do Girassol (Helianthus annuus).

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Oh, Criança!


Tenho muito de criança ainda, mas de uma criança “crescida”, uma criança que esperou e a fantasia não aconteceu, uma criança que tem muitos amigos verdadeiros e todos eles são imaginários, uma criança que sonhou, mas que sofreu em níveis desproporcionais, uma criança que aprendeu, que multiplicou e se tornou sozinha para melhor se entender. Sim, ainda sou essa criança que se ilude com a cobertura do bolo, que fica triste ao ver que ainda existem moradores de rua e que sabe o poder que tem dentro de si. E admito é bom ser essa criança que mudou, que no berro construiu sua voz ativa, que hoje toma porres homéricos, que se permite fumar alguns cigarros, que aprendeu que nem todos são tão bonzinhos quanto aparentam ser. Quer saber? A criança Cresceu! E os traços do homem nada mais são do que marcas, dessa inexorável evolução dos dias.
"A vida já não é mais tão segura/ E nada mais te acalma/
Oh, crianças mas isso é só o fim."
(Só o fim - Pitty - Composição: Marcelo Nova)

Vamos Viver!

(Dedicado a amiga Paula Caroline, afinal ela também se ilude com a cobertura do bolo.)

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TELEPHONE


"Stop calling, stop calling, I don't wanna think anymore.
I leave my head and my heart on the dance floor"
(Telephone - LG)

"Pare de ligar, pare de ligar,eu não quero mais pensar,
Deixei minha cabeça e meu coração na pista de dança..."


Que se explodam os telefones, as ligações, os compromissos, as dívidas, os amores e os cornos, enfim... Acredito que merecemos ser felizes ao menos um dia, um instante ou uma música na pista de dança. Devemos praticar ao menos uma vez, o descarrego de toda essa velharia que carregamos nas costas, ao longo dos nossos dias cinza. É preciso VIVER intensamente os segundos que nos restam, afinal a vida é tão bela que um dia morre.  

--
Nem sou muito ligado no trabalho da Lady G. Mas devo reconhecer que esse trecho da música “Telephone” é sensacional. Fiquei  muitos dias com essa tradução na cabeça, e cada vez mais essas poucas se revelam oponentes. 

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

Estúpido Jogo


Eu já ouvi 50 receitas/Pra te esquecer
Que só me lembram/Que nada vai resolver
(50 Receitas - Leoni)
Eu voltei aqui depois de tudo,
Não sei se é coragem ou tanto faz.
Mas eu sei que muito disso me pertence,
E as lembranças e pedaços não saem mais.
Assim vou me perdendo,
Nos braços de quem não me faz.
Vou encontrando sua presença em tudo.
Tudo aquilo que não me deixa em paz.
São tuas mãos, teus beijos e tua face,
E os teus olhos que sempre querem mais.
Nesse estúpido jogo do meu imaginário.
Onde te recrio... E mais uma vez... Fico em paz.

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

sábado, 30 de julho de 2011

Meu Pano de Confetes




Eu desço dessa solidão, espalho coisas sobre um Chão de Giz. Há meros devaneios tolos a me torturar. Fotografias recortadas, em jornais de folhas. Amiúde! Eu vou te jogar num pano de guardar confetes... 






















...Mas não vou gozar de nós apenas um cigarro. Nem vou lhe beijar, gastando assim o meu batom...




...Agora pego um caminhão, na lona vou a nocaute outra vez. Prá sempre fui acorrentado no seu calcanhar. Meus vinte anos de "boy", That's over, baby! Freud explica...

   
...Não vou me sujar, fumando apenas um cigarro. Nem vou lhe beijar, gastando assim o meu batom. Quanto ao pano dos confetes? Já passou meu carnaval! E isso explica porque o sexo é assunto popular.


No mais estou indo embora! ..No mais, no mais!

--
Chão de Giz, Zé Ramalho. 
Queria escrever um texto baseado nessa música, afinal considero-a forte, cheia de significados e uma história tórrida de amor. Porém decidi manter só a letra, ela não precisa de delongas, ela se auto-completa... ela se define. Salve Zé R.! 

Fotos, Fernanda Young - Playboy - Nov.2009
Fernanda é uma influência com sua presença, sua cultura, sua irreverência. Considero seu ensaio fotográfico um misto dessa paixão tórrida com a rebeldia de quem cansou "...pra sempre fui acorrentada no seu calcanhar!". 

Que essa essência de devaneios te leve para outro lugar... Seus pensamentos.

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Heart?

"Te vejo errando e isso não é pecado.
Exceto quando faz outra pessoa sangrar"

(Na sua estante - Pitty)

Já que o fim não tem mais saída,
E que as lembranças me lembram que acabou.
Nesse instante me lembro do coração,
Daquele acumulado de tecidos involuntários que te dei.
Tão cegamente... não pensei.
Qual a direção do seu primeiro corte?
Qual o fim dessa dor?
Perguntas que tento responder.
Na esperança que o tempo passe rápido
E me ajude a esquecer... O que não se esquece.


Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

Novos Ares

Já sinto a vinda de novos tempos, do vento da mudança.
E esse ar bagunça os cabelos,
Refresca a face... Inunda!
Que ele venha e  mude, desnude... Transforme!

“Feche a cortina, desligue o rádio. A televisão sem som, já é um bonito quadro.
Pro nosso amor descarado, virado. Tarado. O mundo lá fora não vale pra nada.”
(Reavy Love - Cazuzaa)
Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Lista

"Mas as pessoas na sala de jantar, são ocupadas em nascer e morrer."
(Panis et Circenses - Marisa Monte)
Evito:
Os mesmos gestos,
As mesmas roupas,
O sorriso pequeno,
A forma contida,
A voz abafada.

Busco:
Os sonhos múltiplos,
As ideias que conversam,
As palavras que cantam,
O maior que eu mesmo.
As pessoas que são felizes.


"E eu inda sou bem moço pra tanta tristeza. Deixemos de coisas, cuidemos da vida, senão chega a morte ou coisa parecida, e nos arrasta moço sem ter visto a vida ou coisa parecida aparecida."
(Hora do Almoço - Belchior)

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Plenitude


"Quando eu era pequena, ficava procurando por joaninhas no jardim... até que finalmente adormecia. Quando acordava elas estavam em cima de mim!" 
(Sob o sol da Toscana)

Considero duas coisas essenciais para vivermos em plenitude: FÉ e ESPERANÇA.
Não essa fé ignorante, possessiva, que julga o seu umbigo a perfeição e todo resto queima no fogo do inferno. Acho que Fé é algo bem mais limpo, sublime... um estado de paz! Essencial, é a fé que nos leva a acreditar que seremos nós mesmos melhores, essa fé que se acredita de olhos fechados, que não precisa ser palpável para ser  verídica... Uma fé que até possa mover montanhas, mas que seja íntegra, humilde, leve.
Já a esperança é a força que nos leva a dar mais um, mais dois... mais mil passos no escuro. É o sentimento nobre que acredita, que sonha... que espera. Não sou exemplo pra ninguém e nem quero ser, muito menos sou a pessoa, o monge nem o iogue instruído pra falar de fé e esperança, mas me sinto de certa forma inquieto e inconformado com a forma em que as coisas e os sentimentos estão sendo postos e vividos em nossa tão "consciente" sociedade.

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

terça-feira, 5 de julho de 2011

Memória Curta

Eu e esse meu excesso de dramaticidade, de manter os cortes sempre vivos e as feridas sempre abertas. Não sou de esquecer fácil, sou de guardar... Amar ou Odiar, mas nunca esquecer. Levei muito tapa na cara e já fui dormir calado com a cabeça em intermináveis diálogos. Mas sempre calado. Talvez um dia eu aprenda a controlar isso, mas uma coisa é certa eu não sei deixar pra lá, fingir que não aconteceu nada. Isso eu não sei fazer e agradeço por não saber.

"Vai chover de novo/Deu na TV/Que o povo já se cansou/De tanto o céu desabar"
(Santa Chuva - Maria Rita)
Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

domingo, 3 de julho de 2011

Olhos Covardes

"Muitas vezes nossa já ampliada compreensão do mundo é barrada pela rigidez da ignorância de outras pessoas."

"Vamos pedir piedade/Senhor, piedade/Pra essa gente careta e covarde"
(Blues da Piedade - Cazuza)



A função básica dos olhos é nos dar visão, nos mostrar algo. Baseado nisso, Olhos Covardes, representa aqueles que mesmo possuindo a capacidade de ver, preferem vendar-se e terem o escuro de suas próprias opinião e continuarem parados, imóveis e invólucros no mundo.

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Nosso Desabitar

Hoje no nosso meio:
Nem flor, nem planta, nem bicho, nem peixe, nem árvore, nem água... Nem nada.
Só gente, só lixo, só rede, só plástico, só sede, só graxa... Só desintegração.

Campanha da Fraternidade 2011

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Olhar Sobre Mim

"Eu não quero mais mentir
Usar espinhos que só causam dor
Eu não enxergo mais o inferno que me atraiu
Dos cegos do castelo me despeço e vou
A pé até encontrar, um caminho, o lugar
Pro que eu sou" (Nando Reis)
Os avessos
O errado
O encantado
Sempre me encantou.
O misto
O confuso
O cosmopolita
Sempre me definiu.
O forte
O digno
O intenso
Sempre busquei atingir.

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

sábado, 18 de junho de 2011

Escavar Passado



Por mais que lavamos as mãos depois de escavarmos a terra dos nosso nosso passado, sempre ficam partes impregnadas debaixo de nossas unhas. E elas permanecem, se misturam aos nosso segredos e nos perturbam... Nos inquietam! Nos modificam?

"Depois da última noite de festa/Chorando e esperando amanhecer"
(Camila, Biquini C.)
/Vida pensante na madrugada!

Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Amarrado de Palavras

Um paço após o outro,
Um pensamento que pula milhões a sua frente,
Um gole... dois... a garrafa.
E são fortes... intensos.
Desejos simples... momentos.
"O deserto que atravessei/ Ninguém me viu passar
Estranha e só/ Nem pude ver que o céu é maior"
(Catedral, Zélia)
Um amarrado de palavras,
Que até tenham sentido... ou não! (risos)
Mas que sejam leves.
Meras palavras... de elo, de brasa.
Que sejam as minhas palavras, e que elas te tragam Paz!


Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

sábado, 11 de junho de 2011

Punhado de Coisas

Sou do tipo que se ganha fácil. Uma música, um sorriso, uma ideologia... Tudo o que me emocione ou me inquiete já é merecedor de minha atenção. Tudo que em uma fração de segundos me tire da rotina, que pulse na minha retina, que me lave... Me renove. Sou um bicho complexo, confesso! Por esse punhado de coisas pequenas e simples que me torno seletivo... Difícil. Sou os corações que não cabem no peito, a voz maior que a própria garganta, sou as mentiras mais sinceras e os crimes mais engraçados, sou também muito quieto... Calado. As vezes acho que estou sozinho nesse universo paralelo que eu mesmo criei pra mim.
"Num trem pras estrelas/ Depois dos navios negreiros/ Outras correntezas" (Cazuza e Gil) 
Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Individualidade

Que eu seja: Forte... Ousado... Louco... São... Equilibrado... Embriagado... Seguro... Amigo... Bandido... Construtor... Que eu seja sempre assim. Mais um... mais dois... mais outros em mim!

"Eu pinto-me a mim própria porque estou muitas vezes sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor" (Frida Kahlo)


Vamos Viver!

Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Silêncio em Nós

Preciso estar rodeado por gente,
Amigos, gargalhadas, conversa boa!
Mas confesso que preciso estar sozinho,
Conversar comigo mesmo, me entender!
Acho que a melhor companhia deve ser a nossa,
Existem muitos "Diogos" dentro de mim,
E eles brigam, conversam, se modificam... Se completam!
É preciso apreciar o som do silêncio em nós,
É preciso estarmos bem a sós,
É preciso se amar, simples assim.

"Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão." (Lenine, grande Mestre!)

Vamos Viver!

Forte Abraço!
Diogo G. Brandão

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Verdades de Fã

Dona de uma claridão que endoça a alma,
Teto, Pele, Fúria... Som!
Sua arte nos embala, nos pertuba, nos encanta.
Com ela aprendi a dar as mãos numa ciranda do mundo,
A ouvir o som das criança brincando na rua,
Aprendi que o amor nos rouba o ar pra podermos enfim respirar.
Minha admiração por Maria Rita é gratuita, é simples... é leve.
Pra muitos esse papo parece loucura de fã perturbado. Mas não, não mesmo.
Maria Rita me deu amigos e sem esquecer do calor de sua arte... Que nunca me deixou só.

"Você me tirou pra dançar, sem nunca sair do lugar."
 (Cupido - Cláudio Lins) 
Vamos Viver!
Forte Abraço,
Diogo G. Brandão

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Apenas Confesso

Confesso,
Tenho uma absurda dificuldade em fechar ciclos,
Em dizer não!
Sou movido pelo emocional ao extremo,
Ao excesso!
Confesso,
Não sou a pessoa mais sortuda emocionalmente,
Tive relacionamentos difíceis, intensos,
Crimes passionais.
Mas amei de fato.
Confesso,
Não sou, nem quero ser o humano perfeito,
O redentor,
Sou composto por material falível,
Mutante.
Confesso,
Acredito muito na vida,
Que essa desordem humana um dia se organizará,
Evoluir de verdade.
Que seremos pessoas melhores.


"Assim caminha a humanidade. (Marjory Porto)"

Vamos Viver!
Forte Abraço,
Diogo G. Brandão